5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

A ERA DOS EXAMES DE DNA NA CINOFILIA

Com relação ainda à confiabilidade do laboratório, criadores e médicos veterinários precisam ter a consciência que o mercado de laboratórios que oferece este tipo de testes está em grande expansão, inclusive no Brasil. Especialmente quando se procura um laboratório brasileiro para testar seus animais, deve-se ter muito cuidado. Infelizmente, devido à ausência de regulação e fiscalização (também na área humana), e também com a facilidade que a internet possibilita para este tipo de processo, é muito fácil um grupo de pessoas com conhecimentos básicos de genética se reunir e começar a oferecer exames pela internet. No entanto, algumas vezes estes profissionais não possuem os conhecimentos da área animal – afinal este é um campo muito mais recente do que a genética humana – o que pode levar a uma série de erros conceituais. Outro problema é que como todo o processo é feito por internet e correio (compra do teste, envio do material do cão para o laboratório, etc...), quem está investindo em testar seus cães não tem a mínima ideia da qualidade do laboratório. Que tipo de controle de qualidade é feito? O comprador do teste não tem como saber. Em alguns casos, os testes são oferecidos por laboratórios de universidades conceituadas, mas por profissionais que não tem conhecimento na área canina. Todas estas questões podem ser problemas em potencial. Assim, sugere-se dois cuidados na escolha do laboratório: o primeiro, checar se o mesmo é realmente um laboratório de genética animal, credenciado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O cadastro não é obrigatório para exames caninos, mas sim para outras espécies, mas o processo de cadastramento é tão rígido, com tantas fiscalizações de documentos e também locais, que um laboratório credenciado pelo MAPA certamente possui uma alta qualidade técnica e de serviços. Para avaliar esta questão, visite o site do MAPA, onde está disponível a lista atualizada de laboratórios, e para que tipo de exame e espécie o mesmo é autorizado a funcionar (http://www.agricultura.gov.br/assuntos/laboratorios/laboratorios-credenciados/identificacao-genetica-e-material-de-multiplicacao-animal). Lembre-se, por enquanto não existe nenhuma regulação para este tipo de cadastro para exames caninos no Brasil, então nenhum laboratório terá este tipo de autorização.  O segundo cuidado é avaliar se na equipe responsável pelo laboratório existe algum profissional que seja sócio da Sociedade Internacional de Genética Animal (International Society for Animal Genetics – ISAG). Isto pode ser checado diretamente com o laboratório. Esta questão é importante porque é esta associação que determina como devem ser feitos os testes em cada espécie, incluindo cães. Além disto, este tipo de associação aumenta a credibilidade do laboratório no exterior, algo que pode ser importante no momento de exportar um cão que tenha um exame genético.