5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

A ERA DOS EXAMES DE DNA NA CINOFILIA

O criador que se preocupa com a qualidade de sua criação tem percebido nos últimos anos o quanto a cinofilia, em todo o mundo, está investindo em testes genéticos para a investigação de doenças em seus cães. Este interesse crescente foi iniciado, e vem sendo muito fomentado, por um mercado em grande expansão de laboratórios que oferecem estes testes. No entanto, quando se traça um paralelo com a saúde humana, percebe-se uma grande diferença: para seres humanos, exames genéticos são indicados por médicos especialistas na área da doença específica, não oferecidos simplesmente pelo marketing de laboratórios, como acontece na grande maioria das vezes para cães. Além disto, outra comparação é possível de ser traçada: para qualquer outro problema de saúde, é o médico veterinário que avalia o animal, e indica o exame correto, muitas vezes encaminhando o tutor/criador para algum estabelecimento de confiança. Já para testes genéticos, no Brasil a grande maioria dos médicos veterinários não possui uma formação mínima em genética que possibilite este tipo de indicação, e também não têm como interpretar o que significa o resultado no laudo. Desta maneira, este artigo tem o objetivo de auxiliar tanto o criador como o médico veterinário na escolha do teste mais adequado para sua investigação, e também na avaliação da qualidade e confiabilidade do laboratório que está utilizando. Além disto, será discutido também o que significa o resultado final presente no laudo, e como o mesmo pode ajudar na criação.