5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

Você sabe o que é "aconselhamento genético"?

       O "aconselhamento genético" é uma das áreas de atuação do Biólogo.  Esta área, em conjunto com o Melhoramento Genético (área de atuação tanto do Biólogo como do Médico Veterinário) possibilita um trabalho centrado na melhoria da qualidade da criação.

        No Brasil, o aconselhamento genético é feito especialmente na Medicina humana, e auxilia casais a entenderem os riscos de nascimento de filhos com doenças genéticas. Já em países desenvolvidos, o aconselhamento genético para criações de pequenos animais vem se expandindo, e contribuindo muito para a diminuição da prevalência de doenças genéticas comuns de cada raça.

        Boa parte do processo de aconselhamento depende de um trabalho em conjunto com o médico veterinário, uma vez que avaliação clínica, emissão de laudos de saúde e diagnósticos de doenças é uma competência específica desta profissão.

      O aconselhamento genético de qualidade só pode ocorrer com a documentação correta dos animais envolvidos (pedigrees), e com a participação do médico veterinário realizando avaliações clínicas de seus pacientes.

Veja exemplos de como o aconselhamento genético pode auxiliar a sua criação:

1) Na análise do coeficiente de consanguinidade (ou endogamia) de suas ninhadas...

Com endogamia muito elevada, o risco de nascimento de filhotes doentes é alto. Com endogamia baixa demais, é difícil repetir características desejáveis dos pais.

2) Na decisão no momento de adquirir novos padreadores e novas matrizes...

Analisando a composição genética de sua criação, é possível auxiliar no sentido da escolha de novos animais que irão contribuir para o objetivo de sua criação.

3) No aumento de chances de produção de filhotes saudáveis...

Todas as raças têm doenças que são muito comuns e que podem ser controladas com o método correto de criação. Criadores responsáveis levam em conta a saúde dos pais, mas nem sempre isto é suficiente. O aconselhamento genético pode contribuir para o controle de doenças comuns como a displasia coxo femoral, a luxação de patela, a persistência do ducto arterioso, entre várias outras.

 

4) Na previsão das pelagens possíveis em uma ninhada...

Alguns tipos de colorações de pelagens podem ser previstas apenas através da análise das cores dos pais, e algumas vezes também dos avós. Nem sempre o exame de DNA é necessário para isto, embora ele possa auxiliar em muitos casos. 

5) Na emissão de laudos genéticos para os filhotes de uma ninhada...

No caso do processo de reprodução dos animais ter ocorrido com todo o cuidado necessário para diminuir a chance de filhotes que tenham doenças genéticas, é possível emitir um laudo relativo à saúde esperada do filhote. Este laudo pode informar questões sobre o grau de consanguinidade e seu significado, chances aproximadas de doenças multifatoriais (como doenças ortopédicas, por exemplo), e resultados de exames de DNA dos pais, e o que os mesmos significam para os filhotes. Em uma criação que prime pela saúde da ninhada, este tipo de documento demonstra para o comprador a qualidade do trabalho do criador, e agrega valor ao filhote.

6) Na escolha de testes de DNA adequados para cada raça...  

Existem várias doenças cujos testes de DNA já estão disponíveis no mercado internacional, e até mesmo no nacional. Exames de DNA podem ser muito úteis no controle de doenças sérias, e em alguns casos podem até garantir que os filhotes não irão desenvolver a doença testada. No entanto, a escolha dentre os testes disponíveis deve ser orientada por um profissional, de maneira a otimizar os gastos do criador. 
Leia mais aqui sobre exames de DNA

Quer ler mais sobre o assunto?

Aqui você encontra textos e sites sobre o trabalho de aconselhamento genético realizado em países como Estados Unidos, Inglaterra e outros países desenvolvidos. Estes países criaram organizações multiprofissionais, com a a união de órgãos de registro (como os Kennel Clubs) e associações de geneticistas e médicos veterinários, que têm o objetivo de promover uma criação voltada para o bem-estar.

Nosso trabalho é baseado nestas fontes.

Ficou interessado em saber como o  aconselhamento genético pode auxiliar na sua criação?

Veja aqui

algumas possibilidades de laudos fornecidos neste processo

Ficou interessado?

Entre em contato conosco!

clique na foto acima para saber quem são os criadores que já fazem parte da família do

geneticacanina.com

Nesta área você encontra textos direcionados para criadores profissionais. Esperamos que goste!

Biotecnologia de reprodução é melhoramento genético?

Nem sempre! Neste texto discutimos a relação entre biotecnologias de reprodução e melhoramento genético.

Mutação no gene MDR1 e a intolerância à ivermectina 

Ao contrário do que muitos pensam, o problema conhecido como 'intolerância à ivermectina" não ocorre em 100% dos Collies, Pastores Australianos ou Pastores de Shetland, e ocorre em algumas outras raças. 

Além disto, o cão com este problema não pode utilizar também uma série de outros medicamentos. Assim, acreditar que todos os cães das raças acima não podem utilizar uma longa lista de medicamentos, pode dificultar muito seu tratamento, e sem motivo, pois muitos cães poderiam ser tratados da maneira convencional!

Somente o teste do gene MDR1 pode lhe dizer o real status de seu cão! Leia mais sobre este assunto aqui.

Cruzamentos consanguíneos

Cruzamentos consanguíneos são sempre uma ótima ferramenta na criação? Ou trazem sempre problemas na ninhada? Nem uma coisa nem outra!

Neste texto revisamos as informações que todo criador precisa saber para decidir por este tipo de cruzamento.

Traduções técnicas do site do INSTITUTO DE BIOLOGIA CANINA

Nesta área você aproveita nosso trabalho de tradução técnica dos textos da PhD em genética Carol Beuchat, do Instituto de Biologia Canina dos EUA (https://www.instituteofcaninebiology.org/)

LOGO.jpg

Você tem alguma sugestão de assunto para ser abordado? Entre em contato, que tentaremos construir um material útil para a criação!