5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

A    ICTIOSE

COMO IDENTIFICAR O CRIADOR QUE TRABALHA PARA DIMINUIR O NASCIMENTO DE ANIMAIS COM ICTIOSE?

Antes de escolher seu filhote, converse com  o criador sobre as maneiras como ele avalia seus cruzamentos com relação a esta doença.

O criador responsável...

... nunca reproduz qualquer cão que tenha o diagnóstico ou sinais sugestivos da doença. Se um cão tem algum parente com o ictiose, o mesmo não deve ser cruzado com outro cão semelhante. É importante não realizar cruzamentos consanguíneos, pois os mesmos aumentam muito a chance de nascimentos de filhotes com estas doenças.

Muito cuidado com o criador que cruza os animais de forma aleatória, sem se preocupar com o grau de parentesco bem como com a verificação da predisposição genética do animal que poderá ser um portador silencioso da mutação causadora da doença. Cuidado também com o criador que realiza cruzamentos consanguíneos, pois isto aumenta a chance de nascimento da doença

Vocé é criador, já trabalha da maneira proposta para a diminuição da doença, mas quer fazer mais?

                       Parabéns!

Informe-se aqui,

ou

entre em contato conosco! 

Descrição:

       A Ictiose é uma doença hereditária, de caráter recessivo, que muitas vezes é confundida e tratada como alergia de pele, devido à intensa descamação na pele. Esta descamação tem   aspecto de escama de peixe, de cor clara, e grande como flocos de milho. O animal não apresenta coceira, mas pode trazer complicações infecciosas secundárias à ictiose, que podem causar coceira. A gravidade da doença  é bastante variável, com cães altamente acometidos e outros com pouco ou nenhum sinal. Os sinais clínicos podem aumentar em momentos de estresse. A doença pode ser observada em animais com 8 semanas de vida, mas em alguns cães pode levar até 2 anos para aparecer. Não há tratamento específico para ictiose, podendo ser feito uso de shampoos terapêuticos e escovação frequente, e um manejo na alimentação para amenizar o problema.

Diagnóstico:

         É realizado através do exame clínico de um médico veterinário dermatologista. Atualmente, está disponível o teste de DNA para a doença, que indica se o animal possui ou não a mutação. Na Europa, 30% dos cães da raça Golden Retriever possuem esta mutação, apesar de nem todos manifestarem os sinais clínicos. 

Para saber mais...

- Hodges, J. Ichthyosis in the Golden Retriever (pdf)

- Purina Pro club: Golden retriever update (pdf)

- http://www.optigen.com/opt9_ichthyosis_gr.html