5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

A LUXAÇÃO DE PATELA

O criador responsável...

...avalia todos os animais a partir dos 12 meses, utilizando como reprodutores somente animais com laudos 0,1 ou 2.

Antes de escolher seu filhote, solicite uma cópia dos laudos dos pais da ninhada, assinados por um veterinário. Nestes laudos, verifique:

1) a classificação da articulação (0 a 4)

2) a idade em que o animal foi avaliado, que deve ser de no mínimo 1 ano (12 meses).

COMO DETECTAR O CRIADOR QUE TRABALHA PARA DIMINUIR O NASCIMENTO DE ANIMAIS QUE DESENVOLVAM A DOENÇA?

Muito cuidado com o criador que ...

......não realiza nenhum tipo de avaliação clínica ou radiográfica de seus animais, cruzando os animais de maneira aleatória, inclusive os que tem a doença. Como a maioria dos animais não apresenta sintomas até a fase adulta, o mesmo tira várias crias disseminando a predisposição genética no seu plantel.

Vocé é criador, já trabalha da maneira proposta para prevenir o problema, mas quer fazer mais?

  Parabéns!

Informe-se aqui,

ou

entre em contato conosco! 

Descrição da luxação de patela:

         A rótula (patela) normalmente se encaixa em um sulco no osso da coxa (fêmur). Com o movimento da perna, a patela desliza para cima e para baixo nesta ranhura. Quando ocorre a luxação da patela significa que patela deslizou para fora da ranhura, podendo voltar para o lugar ou não, dependendo da gravidade. Trata-se de uma doença multifatorial, para a qual o animal nasce com uma predisposição genética.

          Essa condição é geralmente evidente em cães jovens com cerca de 6 meses de idade, mas  pode passar despercebida até que o cão fique mais velho. Quando a patela está fora do lugar, o cão poderá mancar, podendo recusar-se a suportar o peso, e seu joelho pode ser "bloqueado". A gravidade da doença varia. Nos casos leves, a rótula pode escorregar para fora de lugar, só ocasionalmente. Em casos graves, a rótula desliza fora do lugar mais vezes, ou nunca está em uma posição normal. Outros sinais podem ser percebidos quando o animal estica a perna frequentemente para trás em uma tentativa de encaixar a rótula no lugar novamente, tem as  articulações inchadas, e o cão perde a capacidade de pular normalmente.

chihuahua-1539193_1280.jpg

Diagnóstico da luxação de patela:

           O diagnóstico é realizado pelo veterinário, através do exame físico com palpação, além de exame radiográfico, que deve ser realizado aos 12 meses de idade, ou mais tarde. Qualquer avaliação antes desta idade pode indicar uma falsa normalidade, pois o animal ainda não finalizou seu desenvolvimento. A radiografia é de extrema importância para detectar animais com graus mais leves de luxação, mas com sinais clínicos que podem passar desapercebidos. Após estas avaliações, a doença pode ser classificada em quatro diferentes graus, de acordo com os sinais clínicos e os resultados do RX. Estas classifiações devem estar presentes no laudo assinado pelo veterinário, e demonstrarão que o animal não tem nenhum sinal clínico (grau zero), tem sinais leves que não determinam a doença (graus 1 e 2), ou possuem a doença com sinais mais acentuados (graus 3 e 4).