5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

        Um cuidado especial deve ser tomado para esta doença, uma vez que seu modo de herança ainda não está estabelecido com certeza, e que muitos animais podem ser portadores, porém sem a manifestação de sinais clínicos. 

         Assim, as avaliações de todos os animais do canil, realizadas por um veterinário cardiologista, são de extrema importância. 

          Com base na maneira provável descrita para a herança desta doença, é possível detectar animais saudáveis que possam ter a predisposição genética para cardiomiopatia dilatada, como os exemplos listados abaixo:

1- cão saudável que tenha algum filho com a doença

2- cão saudável que tenha algum irmão com a doença

3 - cão saudável que tenha algum genitor com a doença

Se você tiver algum animal com este tipo de família, cuidado! O ideal seria não utilizá-lo para reprodução.

No entanto, caso se trate de um animal com características excepcionais e você precise cruzá-lo, o mesmo

não deve ser cruzado com outro nas mesmas condições!

Isto é importante especialmente se tratando de fêmeas assintomáticas, que quando possuem parentes doentes

têm mais chance de terem a predisposição genética!

Existem maneiras ainda mais eficientes de diminuir a chance de nascimento de animais que apresentem cardiomiopatia dilatada
A raça que você cria agradece!
Lembre-se também da importância de acompanhar os filhotes produzidos no seu canil! A avaliação por um cardiologista após a fase adulta dos filhotes produzidos em seu canil é de grande importância, pois pode lhe indicar que algum animal de seu canil não deva mais ser utilizado como reprodutor, se o mesmo estiver apresentando muitos filhos com a doença.