5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

       Como se trata de uma doença multifatorial, é possível que seu animal não tenha o problema mas possua a predisposição genética para a doença. Isto acontece pois existem fatores ainda não determinados que modificam o funcionamento do sistema imunológico ao longo da vida. 

 

       Assim, uma maneira ainda mais adequada de avaliar a predisposição genética de seus cães utilizados na reprodução - e afinal o que os mesmos passarão para seus filhotes - é avaliar também os familiares destes reprodutores, além de filhotes que eles já tenham tido. Cães sem atopia, mas  com parentes e/ou filhotes tenham tido o diagnóstico da doença não devem ser cruzados com cães similares (que tenham parentes e/ou filhotes com atopia) . Assim, o conhecimento do estado de saúde todos os animais do canil e de seus parentes e filhotes, são de extrema importância.        

Existem maneiras ainda mais eficientes de diminuir a chance de nascimento de animais que desenvolvam a atopia
A raça que você cria agradece!
Lembre-se também da importância de acompanhar os filhotes produzidos no seu canil! A avaliação por um dermatologista após a fase adulta dos filhotes produzidos em seu canil é de grande importância, pois pode lhe indicar que algum animal de seu canil não deva mais ser utilizado como reprodutor, se o mesmo estiver apresentando muitos filhos com a doença.