5)Na detecção de animais que irão desenvolver doenças de início tardio: para doenças recessivas,

Existem maneiras ainda mais eficientes de diminuir a chance de nascimento de animais que apresentem braquicefalia excessiva

           

      O formato dos ossos do crânio é determinado por diversos genes. Quando o cruzamento entre dois animais com alto grau de braquicefalia é feito, o efeito destes genes pode se somar na ninhada, provocando o nascimento de animais que apresentem uma braquicefalia excessiva.  

      Assim, o criador que deseja um cuidado especial avalia cuidadosamente seus animais, sempre priorizando o bem-estar da ninhada. Se um animal com braquicefalia ligeiramente acima do normal é escolhido para reprodução, o mesmo nunca é cruzado com outro igual, mas sim com um animal menos braquicefálico, de maneira que esta característica seja corrigida na ninhada.

​​     Se o criador utiliza como reprodutor um animal com algum ancestral que tenha braquicefalia excessiva, este animal é cruzado com outro que não apresente esta característica no pedigree, para corrigir esta tendência na ninhada. 

 

       É imprescindível respeitar os padrões da raça para cães com esta característica, pois os padrões já são o limite entre a saúde e a doença.  Também é muito importante que o criador informe e oriente o tutor sobre os cuidados que deve ter ao adquirir um filhote braquicefálico, pois esta característica por si só, já trás alguns inconvenientes aos cães, que devem ter tratamento diferenciado na hora do banho, ao fazer exercícios e no calor.

A raça que você cria agradece!